24.6 C
São Paulo
junho 24, 2024
Notícias

Vidas que valeram apenas 20 centavos: a tragédia da boate Kiss

Francisco de Assis e Silva JBS

Se você é ligado nas notícias, com certeza deve saber sobre o incêndio que houve em uma boate chamada Kiss, no ano de 2013, não é? Francisco de Assis e Silva JBS acredita que essa foi uma das maiores fatalidades que aconteceu no Brasil, fazendo cerca de 640 vítimas e mais de 240 mortos. Por isso, se você quiser saber mais sobre esse ocorrido, continue lendo o artigo para entender tudo o que aconteceu de verdade.

Sobre o incêndio

Em 2013, no Rio Grande do Sul, mais especificamente no centro, em Santa Maria, uma boate pegou fogo às 2 horas da manhã. A boate era totalmente térrea, mas era praticamente um labirinto, tendo apenas uma porta de entrada e saída, com extintores sem funcionalidade e lugares bem escondidos. Naquela noite, havia muitos estudantes da Universidade Federal de Santa Maria e, muitos deles, foram vítimas dessa fatalidade.

Segundo Francisco de Assis e Silva JBS, o incêndio causou cerca de 636 feridos e 242 mortos naquela noite. A boate contava com dezenas de irregularidades, desde sua planta, até a qualidade dos extintores. O incêndio começou devido ao uso de artifícios inadequados em lugares fechados, então a espuma de isolamento acústico incendiou, queimando rapidamente e soltando substâncias altamente tóxicas para a saúde.

Muitas pessoas conseguiram sair do lugar, outras já tiveram uma grande dificuldade por terem sofrido ferimentos graves, porém, quase metade dos que estavam lá naquele dia, tiveram sua morte decretada. Dos 242 mortos, cerca de 180 deles foram encontrados nos banheiros. A fumaça preta dificultava a visão, o que atrapalhou a tentativa da saída de muitos, que confundiram os banheiros com a única porta de saída e entrada. Lá, havia uma pequena saída de ar, porém, havia uma barreira de madeira por fora, impedindo a saída de quem tentou sair por lá, sendo o fim de muitos.

De acordo com o advogado Francisco de Assis e Silva JBS, o local chegou a cerca de 300º por causa das chamas. A saída das pessoas foi bem demorada porque os seguranças demoraram a entender que estava acontecendo um incêndio, segurando as pessoas por cerca de 1 minuto e meio. Depois disso, os bombeiros foram chamados, chegando no local cerca de 3 minutos depois, porém, já era tarde para salvar aqueles que haviam respirado a fumaça tóxica.

Os familiares

Hoje, muitos familiares ainda sofrem com a perda de seus filhos, sobrinhos e primos, ainda mais porque até hoje a justiça não foi feita e nenhum dos suspeitos foi efetivamente preso, apenas interrogados. Depois de 10 anos, aquelas vidas ainda não tiveram sua justiça e nem mesmo os familiares e feridos que hoje são marcados com a irresponsabilidade dos responsáveis pelo incêndio. 

Mortes que custaram apenas 20 centavos

Além  do dono ter sido multado pelas irregularidades já alertadas presentes na boate, o autor pelo até de ter lançado os artifícios, membro da banda que estava tocando naquela noite, comprou o artefato inapropriado para ser utilizado em lugares fechados. Os fogos próprios para esse tipo de evento custavam R$50,00, porém, ele preferiu optar por um que custava R$2,50, uma diferença de R$47,50, totalizando o custo de 20 centavos por cada vítima. Naquela noite, a vida de cada jovem custou apenas 20 centavos.

O advogado Francisco de Assis e Silva JBS acredita que a justiça ainda pode ser feita, então é importante acreditar no melhor. De fato, foi uma grande tragédia e os responsáveis devem pagar por isso, mesmo que não tragam as vidas de volta. Hoje, os então feridos e familiares ainda esperam que a justiça seja feita para seus familiares e conhecidos perdidos naquela noite.

Related posts

Paladares globais: uma viagem pelos pratos típicos pela perspectiva de Nathalia Belletato

Richard Otterloo

Analisando a complexa crise na Ucrânia: raízes, desafios e implicações globais

Richard Otterloo

Richard Otterloo explica qual é o papel das energias renováveis ​​na sustentabilidade global

Richard Otterloo