20.1 C
São Paulo
junho 25, 2024
Política

Mensagens sobre atos golpistas a Ibaneis ‘reforçam necessidade’ de Guarda Nacional, diz Dino

O ministro da Justiça, Flávio Dino, afirmou nesta sexta-feira (10) que as mensagens trocadas entre chefes de Poderes e o governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), “reforçam a necessidade” de criação de uma Guarda Nacional.

Ibaneis foi acionado por autoridades alertando sobre riscos dos ataques golpistas e potencial de gravidade. O governador é responsável por comandar as forças de segurança locais, entre as quais, a Polícia Militar, que tem homens investigados por omissão.

A criação da Guarda Nacional consta do pacote contra atos golpistas entregue por Dino a Lula no dia 26 de janeiro, e prevê reforço na segurança pública em prédios de órgãos públicos em Brasília.

A ideia é driblar eventuais omissões de policiais, como as que ocorreram no dia 8 de janeiro. Com isso, não seria somente a PM a responsável por proteger prédios públicos e o patrimônio nacional em Brasília.

Dino disse que as mensagens em que Ibaneis é cobrado pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, “reforçam ideia da guarda nacional”.

“Não podemos deixar dependendo de um governador, de uma autoridade local, porque, em qualquer situação, se há uma eventual omissão, todos os poderes ficam desprotegidos. As mensagens mostram que os Poderes não tinham meios eficazes para mudar a situação”, avaliou o ministro da Justiça .

Ibaneis foi afastado do cargo por 90 dias após determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ele é investigado por suposta omissão na segurança do DF no dia dos ataques, quando vândalos depredaram as sedes dos três poderes da República.

Related posts

‘Já entraram no Congresso’, escreve Rosa Weber para Ibaneis durante ataques golpistas de 8 de janeiro

Richard Otterloo

DF inova em serviços de saúde para vítimas de violência

Richard Otterloo

Prática utópica, poder político e comunidade na arquitetura: uma entrevista com Olalekan Jeyifous

Richard Otterloo